bggghjkkkk

bggghjkkkk

28 de novembro de 2016

LIVRO - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS

EU ESCOLHI AMAR VOCÊ

Armando sempre foi um sujeito pacato e muito sério, tanto no trabalho como em sua vida pessoal. Na empresa onde trabalhava conheceu Wanda, sete anos mais jovem do que ele. Armando era assediado por várias garotas em seu trabalho, mas sempre muito discreto, não deixava brechas para que viessem fofocas a seu respeito no corredor da empresa onde trabalhava. Wanda ainda era uma menina que acabara de completar dezoito anos e estava no seu primeiro emprego. Armando, mais maduro, exercia cargo de confiança na empresa, estava formado em administração de empresas e fazia vários cursos de aperfeiçoamento. Armando sabia o que queria: conhecer uma mulher que amasse, que juntos pudessem fazer planos para que num futuro próximo formar uma família, e viver para os filhos. Wanda via em Armando um porto seguro e logo que começaram a namorar fazia planos para o casamento. Apesar da diferença de personalidade, Armando se apaixonou loucamente por Wanda. Armando era tipo o último romântico, aquele à moda antiga, que manda flores, não esquece as datas comemorativas do casal, fazia poesias e declarações de amor... Estava perdidamente apaixonado por Wanda: Quando descobrimos o sentimento da paixão, ficamos bobos, com os pés fora do chão. Indubitavelmente, a pessoa apaixonada não consegue mais viver sem o grande amor. É como se faltasse o ar para respirar, como se o mundo estivesse em volta de quem se ama, como se existisse um só corpo e dois corações. Isso é muito perigoso, pois quem ama dessa maneira, perde a razão, ou a única razão de viver é estar com quem se ama. Competente e apaixonado Armando ficou. Talvez tenha que ter tido mais cuidado, mas o primeiro amor vem como se fosse uma doença que se cura com um só remédio, o remédio de estar ao lado de quem se ama, não podendo existir distância que possa separar o casal. Armando era tão discreto que demorou para os colegas de trabalho descobrir que ele e Wanda tinham um caso sério. Apenas os amigos mais íntimos sabiam, quando tudo ficou mais claro no dia da festa em comemoração ao aniversário da empresa. Armando sempre sério, num terno cinza, chegou à festa acompanhado, de mãos dadas a Wanda. Wanda estava linda num vestido negro transparente... Disse a uma amiga que tinha passado três horas no cabeleireiro e nem veio trabalhar no dia da festa. Tímido, Armando tentou desgrudar da mão de Wanda na entrada da festa, mas ela, decidida, não largou da mão de Armando - grudou como se fosse cola. Ao entrarem no salão, já estava tudo combinado antecipadamente para tocaram a música que marcava o romance do casal, e assim foi feito. Não teve outro jeito, Armando assumiu o namoro com Wanda ali, na frente de todo mundo e ainda ganharam presentes e chuva de arroz, além dos comprimentos de todos da empresa. Depois da festa, Armando e Wanda tiveram um ensaio de lua de mel e tudo aquilo fez com que Armando ficasse mais apaixonado, e Wanda também. Wanda se deslumbrou por Armando... A partir daquele dia o casal iria passar por uma prova de relacionamento: Armando e Wanda passariam a maior parte do tempo na empresa. Trabalhavam no mesmo setor e de onde Wanda se sentava, podia ver todos os movimentos de Armando, e vice e versa. Aos finais de semana, quando Armando não ficava na casa de Wanda, era Wanda quem ficava na casa de Armando. De certo que todo casal tem lá suas brigas e isso não era diferente com Armando e Wanda, mas, nas reconciliações, o amor voltava feito ventania, varrendo todas as mágoas que pudessem existir, e os beijos e abraços eram como fogo a queimar no peito, feito uma paixão ardente, cheia de desejos e sedução. Depois de um ano de namoro, Wanda começou a cobrar a data de casamento. Armando sempre adiava a data, pois cauteloso e planejador, dizia a Wanda que antes precisavam se planejar, ter um lugar para morar e comprar todos os móveis. Num determinado dia de domingo, Armando estava num cruzamento e foi lhe entregue um folheto, uma propaganda sobre venda de apartamentos. Armando pegou o folheto, pois se interessou. Chegando em casa ligou para o corretor do empreendimento e viu que a compra daquele imóvel está dentro das condições financeiras que possuía. Faria um enorme sacrifício, mas acreditava que pudesse arriscar. Pediu a opinião de seus pais que lhe disseram: - Meu filho, só se consegue alguma coisa na vida quem arrisca! Tenha fé que vai dar tudo certo! O incentivo que precisava, Armando obteve de seus pais. Inicialmente não comentou nada com Wanda, pois queria fazer uma surpresa. No dia seguinte Armando saiu mais cedo do trabalho, disse a Wanda que iria ao dentista e foi até o endereço do imóvel. Ficou encantado! Além do mais obteve ainda uma grande vantagem que reduziu o valor das prestações que teria que pagar. Feito isso, antes de assinar o contrato, levou Wanda para conhecer o apartamento. Wanda ficou encantada! Então, não restou mais nenhuma dúvida é imóvel foi adquirido. Armando ficou alguns meses sem disponibilidades financeiras: Vendeu o carro e fez um empréstimo bancário. Depois de um ano, Armando tinha se restabelecido financeiramente e então passou a comprar os móveis, pouco a pouco, guardando na casa de seus pais. Enquanto isso, enquanto Armando estava se planejando, Wanda cobrava insistentemente a data do casamento, até que Armando concordou em marcar para dali a seis meses. Armando sabia o que dizia e o que queria, pois tudo em sua vida sempre foi planejado e convenceu Wanda com a data escolhida, pois ela também teria seus compromissos como, por exemplo, fazer o vestido de noiva, montar o enxoval etc. O tempo passou e chegou a tão sonhada data do casamento. Casaram-se no civil e depois de uma semana, na igreja. O apartamento ficou montado e mobiliado. A lua de mel foi de apenas uma semana, mas valeu a pena. O casal estava feliz e apaixonado. Após o casamento, Armando continuou como o último romântico: Sempre trazia flores para Wanda, enchia-a de mimos e carinhos. Logo que se casaram, Wanda perdeu o emprego. Armando segurou a barra por um bom tempo e depois ele mesmo conseguiu arrumar um emprego para Wanda. Wanda, com vinte e dois anos, ainda pensava como uma menina. Teve uma infância difícil morando no interior. Seus pais não lhe deram a liberdade para aproveitar a infância e adolescência, pois todos na família tiveram que começar cedo no trabalho para subsistirem. No novo emprego, Wanda convivia com pessoas de sua idade e também de idade inferior, numa cidade grande, cheia de atrativos, baladas, festas... Até que se perdeu. Armando, diferentemente de Wanda, pensava num futuro prospero: Foi promovido a cargo de diretor na empresa, quitou seu apartamento e comprou outro imóvel. Vivia muito bem e o intuito de fazer com que Wanda trabalhasse foi para que ela também tivesse objetivos na vida, o que não aconteceu. Wanda se perdeu. Transformou-se numa pessoa da qual Armando não reconheceria mais. Com isso vieram as brigas. Armando reconsiderou muita coisa, fez vistas grossas para outras... Tudo porque amava demais. Mas quando acabou a cumplicidade, também acabou o respeito, e isso foi grave demais. Certa vez Armando chegou em casa estafado, vindo do trabalho e encontrou algumas pessoas em sua casa, amigos de Wanda. Armando nunca tinha visto aquelas pessoas e nunca Wanda comentou a respeito delas. Armando se recolheu no quarto enquanto Wanda e os amigos ficaram na sala, ouvindo músicas e conversando em voz alta. Depois de um tempo, Armando recebeu uma ligação anônima. Alguém lhe dizia para tomar cuidado, pois existiam pessoas que incultaram na cabeça de Wanda que Armando era um empecilho em sua vida. Armando não deu importância, mas a partir dali passou a planejar... O amor que tinha por Wanda não era mais o mesmo e a separação seria inevitável. Wanda passou a sair de casa e voltar dois, três dias depois. Dizia que estava na casa dos pais, que tinha saudades, mas Armando descobriu a mentira. Foi então que a separação foi consumada. Armando deixou o apartamento para Wanda e foi morar na casa que tinha comprado. Wanda fez questão de homologar o divórcio na justiça e assim foi feito. Foi muito difícil para Armando esquecer seu grande amor, mas as atitudes tempestivas de Wanda assim o fizeram. Armando continuou trabalhando na mesma empresa enquanto Wanda empregou todo dinheiro que tinha numa sociedade, tendo como sócios os mesmos “amigos” que um dia disseram que Armando era um empecilho na vida dela. O tempo passou. Armando parecia ter superado todo o acontecimento e não teve mais notícias de Wanda. O único sabor que Armando tirou de tudo que aconteceu foi que o casal não teve filhos e todo desamor ficou apenas com ele. Mas a vida dá voltas e existem vários provérbios e ditados que dizem isso é devemos estar sempre preparados para poder decidir nossas atitudes no momento exato em que estamos diante de uma causa, uma consequência: Naquela tarde, Armando estava descansando na varanda de sua casa. Estava pensando sobre as escolhas e as decisões que havia tomado em sua vida até então. Difícil é encontrar um final feliz, pois a felicidade quando é plena e verdadeira, advém de uma dor. Armando não estava esperando por ninguém em sua casa é quando o interfone tocou, achou que foi por engano, mas a outra voz, do outro lado da linha, queria muito falar com ele.
- Eu Preciso falar com você. Pode me atender?
Eu bem sabia de quem era a voz do outro lado da linha, mas não queria acreditar. Logo pensei em discussões, novas brigas, ofensas... Fazia quase dois anos que eu não a via. Estava bem mais magra, com olheiras profundas e cor pálida: Estava acabada. Pensei que de certo vinha conversar sobre algo que ainda tínhamos em comum, mas poderia ter me telefonado. Aí é que vem a retórica, a oportunidade de dizer a coisa certa. Também vem a vingança, oportunidade de regressar, de reverter o prejuízo da última briga, mas Armando era capaz de amar o mais ferrenho inimigo, pois aprendeu com a vida e talvez seja por isso que sofria com isso. De certo que Armando não disse que tinha prazer em revê-la, porém, ouviu pacientemente a sua queixa. Realmente Wanda estava precisando de ajuda e se procurou Armando, foi porque teve várias portas fechadas e aqueles que se diziam seus amigos e foram contra Armando, a deixaram na mão, botaram-na na rua, cheia de dívidas, sozinha na contra mão da vida.
- Sua situação é muito delicada.
Fazia tempo que não nos olhávamos. Pude ver a mulher que conheci sem os vícios mundanos, sem o orgulho de quem não conquistou nada e vivia pisando nas pessoas, com atitudes infantis. Longe de Armando ser o filho preferido de Deus, pois também tinha seus pecados e uma hora iria receber seu perdão. A vida inteira teve o coração mole e diante dele existia uma pessoa pedindo ajuda, uma pessoa por quem um dia foi perdidamente apaixonado. É claro que Armando não negou ajuda a Wanda e nem virou às costas. Não bateu a porta à sua frente e nem lhe devolveu as rosas sem cheiro que um dia colheu no jardim. Foi difícil a resolução do problema que Wanda veio se queixar e pedir ajuda de Armando. Dispôs-se a ajudar sem piedade, sem desejar nada em troca... Ajudou porque o seu espírito sempre foi fraterno, bondoso, misericordioso e caridoso. Depois, Armando nunca mais viu Wanda. Não se importou de não ouvir pelo menos obrigado na despedida. Ficou a refletir novamente sobre as escolhas que fez em sua vida, mas não se arrependeu, pois enquanto Wanda foi o amor que sempre sonhou, Armando teve como saber o que foi ser feliz. 
Se pudesse, voltaria no tempo para corrigir um só momento de minha vida: Quando amei demais. Amar demais pode ter sido minha maior doença. Mata-nos aos poucos, pelas beiradas da alma, pelos cantos da razão, no meio do coração - Como um tiro no peito: Infarto agudo da alma. Se tivesse sido um super herói, teria dado várias voltas ao redor da terra... Não para ressuscitar o passado, nem para salvar a mulher que tanto amei... Mas para trazer de volta as cores que deixaram de habitar os meus jardins, de matos cinza, terras negras, [rastros sem saída]... De plantas murchas e rosas sem cheiro.
TRECHO DO LIVRO